«

»

out 06

Pelo mundo: Projeto de rotaractianos dissemina hortas comunitárias na França

hortasInspirado pelo movimento Edible criado por Nick Green na Inglaterra, o Rotaract Club de Versailles lançou seu projeto Potalib, que já está presente em mais de 20 cidades francesas. Os rotaractianos não tiveram problemas em conseguir a permissão de Nick para levar o conceito deste movimento de acesso a alimentos para a França.

Com a obtenção da patente da marca Potalib, o clube vende o projeto como um kit para instituições, comunidades e empresas. Este kit inclui 18 variedades de sementes, instruções de cultivo e 12 caixas de madeira de um metro cúbico cada com 270 kg de terra. Nos locais que aderem à horta, os rotaractianos organizam uma festiva de inauguração com refeições gratuitas.

“O objetivo do nosso projeto é muito simples: dar a todos, do mais pobre ao mais rico, a oportunidade de consumir alimentos de qualidade”, comenta o presidente do clube Thibaut Mathieu. “As pessoas estão cuidando das hortas, e até agora não houve casos de roubo ou vandalismo. Na verdade, o Potalib está aproximando os moradores.”

“No começo cheguei a ficar sem graça de pegar uns legumes”, diz brincando Nathalie, que mora nos arredores de Paris. “Adoro a nossa horta. Nós trabalhamos nela e nos divertimos muito. É uma sensação muito boa plantar e colher o que se come.”

Cada kit sai por cerca de 15 mil dólares, valor caro para uma só pessoa, mas acessível para uma prefeitura ou empresa. De posse do dinheiro obtido com a venda, o clube paga os fornecedores.

Quando a comunidade não consegue arcar com o custo do Potalib, o clube fala com as empresas da área. O benefício para elas é que ao espalhar as caixas pela comunidade a sua imagem é projetada como a de uma empresa que se importa com as pessoas.

“Recebemos em média quatro pedidos por semana”, comemora Mathieu, acrescentando que o plano é criar um website separado só para o projeto.

Em existência desde 2012, mesmo antes da obtenção do diploma de admissão do Rotaract Club de Versailles, no ano seguinte, o Potalib não apenas está beneficiando várias pessoas como também o clube, cujo número de associados saltou de 16 para 60.

Mathieu não deixa de enfatizar que o sucesso dele e dos colegas se deve em grande parte ao apoio do seu patrocinador, o Rotary Club de Versailles. “Eles sempre estão dispostos a nos aconselhar”, conclui Mathieu.

Fonte: Brasil Rotário

2 comentários

  1. Carlos Alberto

    Sou engenheiro agronomo e pretendo implantar as hortas comunitárias aqui em Rondonópolis, Estado de Mato Grosso. Para isto eu preciso de um contato com vocês para descobrir os detalhes da construção de um Potalib. Um feliz natal a todos. CAC.

  2. Carlos Alberto

    Sou engenheiro agrônomo e pretendo implantar as hortas comunitárias aqui em Rondonópolis, Estado de Mato Grosso. Por isso preciso de um contato com vocês para descobrir os detalhes da construção de um Potalib. Um feliz Ano Novo a todos. Abraços. CAC. albertocacr@gmail.com.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>